CONFRARIA ROCK

 

 

 

 

HOME

Música

 

04 MARÇO 2016

Voltar

Conheça a banda mineira A Bandeja Amarela

Versalle lança clipe de “Mente Cheia” Foo Fighters zomba dos rumores do fim da banda
Rammstein vem ao Brasil em setembro Wolfmother - Victorious | Crítica
Mick Jagger diz que Rolling Stones já têm músicas inéditas para o próximo disco
Anthrax: "Blood Eagle Wings" não é aconselhável para pessoas sensíveis
Jethro Tull: box de “Aqualung” sai em abril Beatles voltam à tela grande com A Hard Day's Night
03/03/16
Depois de vencer competição, guitarrista grava disco na Suíça AC/DC pode voltar ao Brasil no segundo semestre
Lomba da Massa, novo clipe do Figueroas Planet Hemp é uma das atrações principais do Bananada
David Lee Roth:ouça o novo single “Aint’T No Christmas” Universidade americana compra direitos dos arquivos de Bob Dylan
Dave Grohl planeja deixar a banda Foo Fighters Casa de Folha Lança seu 1º EP – “Bangalô” (Belém/PA)
02/03/16
Jake Bugg lança mais uma música nova e revela detalhes do disco Black Rebel Motorcycle Club vai tocar em evento gratuito em SP
Lobão não dever ser censurado porque você não concorda com ele Explosions In The Sky divulga mais uma música inédita
João Rock 2016: Legião Urbana 30 anos, Ira! e Scalene The Kills retorna com o single  e anuncia novo disco
01/03/16
Grito Rock 2016: as edições do festival que acontecerão no RS Rara Canção do Nirvana com vocal de Dave Grohl. Ouça
Iggy Pop deu o corpo ao manifesto para exposição de arte Aposta: Rodrigo Miguez
“Inventar o Agora”, nova do Yokohama Café Clipe: Ledjembergs – Mil Rosas
Quando a Polícia Chegar”, novo clipe do Autoramas “Despedida”, novo single do Holger
“Filosofias, drogas, costumes e música se transformaram”, diz Supercordas
Ritchie Blackmore: reveladas informações sobre volta ao rock
Rock nacional dos anos 90 ganha história em quadrinhos Whitesnake anuncia turnê mundial

ANTERIORES:

22 a 26/02/2016

 

HOME

Versalle lança clipe de “Mente Cheia”

 

 

 

Mais uma faixa do álbum “Distante Em Algum Lugar”, da Versalle, ganha um clipe: depois do sucesso “Modelo Adequado”, agora é a vez de “Mente Cheia”. Dirigido por Cléver Cardoso e Raphael Borghi, o vídeo está disponível no canal oficial da banda no YouTube.

Gravado na Pedra do Baú (São Bento do Sapucaí / SP), o clipe intercala belas imagens da atriz Greta Antoine ao ar livre com as da banda. O objetivo dos integrantes é transmitir uma sensação libertadora. “Falamos para o Cléver que queríamos passar a ideia de desprendimento, de movimento, de caminhada, que vai ao encontro da mensagem da música. A partir disso ele criou o roteiro”, conta o guitarrista Rômulo Pacífico.

“Mente Cheia”, que é uma composição do vocalista Criston Lucas, tem um grande peso na trajetória da Versalle. Durante a participação na segunda temporada do SuperStar (Globo), a banda foi para a repescagem e entrou novamente na disputa ao cantar a música, que teve um alto índice de aprovação dos jurados e do público.

 

 

DROP MUSIC

 

Topo

 

Foo Fighters zomba dos rumores do fim da banda em novo vídeo; assista

“Pela milionésima vez, não estamos nos separando”, escreveu a banda. “E ninguém vai sair em carreira solo!”

 

 

 

As especulações acerca da separação do Foo Fighters ganharam força esta semana, depois que a banda publicou um misterioso tuíte – na última terça, 1º – dizendo que haveria um “anúncio oficial” na noite seguinte, acerca do futuro do grupo. “Fiquem atentos”, escreveram eles.

O tuíte foi “reforçado” por uma reportagem do Page Six, de segunda, 29, clamando que havia uma “tensão” entre Dave Grohl e Taylor Hawkins e que o vocalista sairia em carreira solo – o que provavelmente ajudou a aumentar os rumores.

Apesar da reportagem – e da performance de Grohl sem os companheiros de banda no Oscar, no último domingo, 28 –, os fãs do Foo Fighters podem ficar tranquilos, já que o “anúncio” dito no tuíte não passa de um esperto vídeo no qual o grupo zomba dos rumores de separação (assista abaixo).

O vídeo de sete minutos se inicia com manchetes reais sobre a aparição de Grohl no Oscar, o possível fim do Foo Fighters e as especulações de um possível trabalho solo do vocalista e guitarrista da banda.

As cenas são intercaladas entre Grohl – que, no vídeo, considera sair em carreira solo – e os companheiros de banda – que, por sua vez, buscam outro vocalista para o Foo Fighters, cogitando sugestões que vão de Gwen Stefani e Prince a Phil Collins e Justin Bieber.

Depois que Grohl tenta fazer uma balada no teclado, com letras que focam de maneira hilária em ele estar sozinho (“And now I'm free to be me, just me, not those other three or four or how many more”, canta), os outros integrantes da banda fazem audições com um vocalista que nada tem a ver com o estilo do Foo Fighters.

 

O vídeo então culmina no anúncio oficial: “Pela milionésima vez, não estamos nos separando. E ninguém vai sair em carreira solo!” aparece escrito na tela. Apesar de negar a separação e o trabalho solo de Grohl, o vídeo não informa sobre um possível hiato do grupo.

 

Assista abaixo.

 

 

ROLLING STONE EUA

Topo

 

João Capdeville lança clipe de “Sua Vitória”

 

 

Um Rio de Janeiro escuro e sombrio dá o tom para o vídeo de “Sua Vitória”, novo clipe do cantor e compositor João Capdeville. Em clima de despedida, a música ganha uma interpretação que mostra encontros e desencontros na noite carioca.

A narrativa acompanha as atrizes Emília Alcoforado e Luciana Danfer. “Pra retratar um pouco da confusão da música, pensamos em filmar alguém em seu ‘andar sem rumo’. No caso, mostrando um relacionamento entre duas pessoas, duas meninas. Mas em momento algum dizemos que tipo de relacionamento elas têm, isso fica aberto a interpretações. Nosso foco era gravar algo com aquela vibe de curta, com imagens lindas das duas em várias situações e em vários pontos da cidade noite a dentro”, revela João.

O clipe remete à sensação de solidão na noite do Rio já retratada em seu primeiro clipe, “Lembra?”, também produzido pela Tocavídeos. Luís Martino dividiu a direção com Fernando Neumayer e o roteiro com Neumayer e o próprio João, além de ficar a cargo da direção de fotografia e da edição do clipe.

Apesar de ter cenas mais intimistas em um apartamento, a maior parte foi gravada em externas durante uma madrugada. Locações como a Barra da Tijuca, em especial o quebra-mar, a icônica mureta da Urca e o Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas, foram alguns dos escolhidos para dar vida à história.

 

 

Além de “Lembra?” e “Sua Vitória”, a dupla da Tocavídeos dirigiu também “O mundo vai girar”, segundo single do EP de estreia de João, “Pausa”. Produzido por Diogo Strausz (Alice Caymmi, Castello Branco), o trabalho reuniu músicos como Jorge Sant’anna (violão de sete cordas), José Arimatéia (trompete), Patrick Laplan (bateria), Ledjanne Motta e Maria Pia (coros) e o próprio Strausz (baixo e teclado).

 

DROP MUSIC

Topo

 

Rammstein vem ao Brasil em setembro

Alemães ainda definirão as cidades e datas exatas dos shows

 

 

Os alemães do Rammstein chegarão ao Brasil em setembro. De acordo com o jornal Destak, a banda fará ao menos um show no país, ainda em data a se definir.

A última vez que o grupo veio foi em 2010, quando tocou em São Paulo. A vinda ao país será proporcionada pela presença já confirmada deles em um festival chileno chamado Rockout.

O disco mais recente do Rammstein é Liebe Ist Für Alle Da, de 2009. A banda surgiu em 1994.

 

THIAGO ROMARIZ – OMELETE UOL

Topo

 

Wolfmother - Victorious | Crítica

"Sozinho", Andrew Stockdale segura a onda em disco sobrecarregado de efeitos

 

 

Mudanças de formação sempre afetam bandas de rock. Mesmo que a banda se transforme para melhor, o momento da saída de alguém é sempre marcante. O Wolfmother conhece de perto essa história e agora, com a chegada de Victorious, a banda se agarra nas forças de Andrew Stockdale, o único membro da formação original.

No disco novo, ele toca todas as guitarras e baixos. É uma responsa ter que dar conta de dois instrumentos e segurar a onda num período de mudanças, e ele mantém com talento a sonoridade hard rock da banda. A produção do lendário Brendan O'Brien traz uma camada de peso extra para o som, mesmo sendo exagerada em alguns momentos.

Como nos outros discos do Wolfmother, as influências estão claramente expostas em cada faixa: "Blue Cheer" é Deep Purple, Led Zeppelin e Black Sabbath (só pra citar algumas). Em alguns momentos você é capaz de fechar o olho e ouvir a voz de Ozzy Osbourne, numa linha tênue entre a admiração e a quase pagação de pau.

Mas o Wolfmother é uma banda competente e o que se escuta é, claro, a primeira opção. “The Love That You Give” já abre o álbum com um riff matador e timbres que preenchem o ambiente, mérito de O'Brien. Uma mistura de hard rock com psicodelia que funciona muito bem, dando a entender que apesar de tudo a banda segue empolgadaça com seu novo material.

A faixa que dá nome ao álbum é outra sonzeira, cheia de viradas espertas de bateria e um vocal poderoso de Andrew. Já “Pretty Peggy” leva o disco para uma pegada mais acústica, mais adolescente e um pouco menos inspirada. Talvez aqui seja um dos momentos onde a produção exagerada de O'Brien passe um pouco do ponto: muito reverb, muito efeito, muita firula que acabou prejudicando o refrão.

O mesmo acontece em “Bad Situation”: uma música ótima e com uma das melhores performances vocais de Andrew, mas que sofre com uma overdose de efeitos desnecessários: palminhas em excesso, uma distorção bizarra no baixo e um órgão que encobre tudo e acaba atrapalhando a ótima ideia que está embaixo.

Contudo, o disco segue cheio de punch e satisfaz. “Eye Of The Beholder” traz de volta o peso característico da banda e “Happy Face” tem um riff bem sacado. Victorious pode não ser o disco mais inspirado do Wolfmother, mas tem bons momentos suficientes pra deixar qualquer fã satisfeito. E justiça seja feita: tendo feito praticamente tudo sozinho, Andrew Stockdale está de parabéns.

 

FELIPE COTTA – OMELETE UOL

Topo

 

Mick Jagger diz que Rolling Stones já têm músicas inéditas para o próximo disco

A declaração foi dada a Luciana Gimenez, apresentadora da Rede TV com quem tem um filho. Roqueiro também deu detalhes da série 'Vynil', que produziu com Martin Scorcese.

 

   

O cantor Mick Jagger durante entrevista a apresentadora Luciana Gimenez, ontem à noite (VieiraPress / Divulgacao RedeTV! )

 

O líder dos Rolling Stones, Mick Jagger, afirmou ontem em entrevista para Luciana Gimenez, apresentadora da Rede TV com quem tem um filho, que a banda já têm material gravado para um novo disco de inéditas. "Estivemos no estúdio antes do Natal. Gravamos músicas novas, mas não sabemos quando serão lançadas. Vamos gravar mais algumas no final da primavera", disse o artista. Essa foi a única entrevista que Jagger concedeu no Brasil.

Em momento curioso quando Luciana perguntou sobre as plateias do Brasil, Mick disse que sente o público no Rio de Janeiro bastante tranquilo, "relax". Sobre os paulistas, fez uma espécie de crítica, ligeiramente incomodado: "Parece que todo mundo assiste ao show pelo celular! O público aqui é um pouco diferente".

Luciana perguntou sobre como o roqueiro faz para equilibrar as atenções à família com a carreira na estrada, ao que o roqueiro respondeu: 'É um malabarismo'. 'Mas meus filhos são todos grandes, Lucas é o menor. Não preciso tomar conta deles o tempo todo', completou.

Sobre a série 'Vynil', que ele produziu junto com Martin Scorsese, exibida pelo canal HBO, Jagger contou que a ideia original era fazerem um longa para cinema, mas que a valorização dos seriados para TV dos últimos tempos o fez mudar de ideia. A produção, para ele, é complicada. 'Trabalhamos com sete diretores. O que garante uma unidade é (o fato de) ser a mesma equipe de câmeras, os mesmos atores', finalizou Jagger.

 

AGÊNCIA ESTADO

Topo

 

Anthrax: "Blood Eagle Wings" não é aconselhável para pessoas sensíveis

 

 

A poucos dias de desembarcar no Brasil para uma série de shows, o Anthrax acaba de lançar um videoclipe para "Blood Eagle Wings", que está no mais recente disco da banda, "For All Kings", lançado no final de fevereiro.

 

Desaconselhável para pessoas sensíveis, o vídeo traz um cela onde se perpetram torturas e execuções. O ponto alto é a simulação de um ritual de execução chamado "Águia de Sangue", cuja descrição foi feita em poemas nórdicos medievais.

 

A execução (que é também uma tortura) consiste em abrir as costas do prisioneiro, cortando e expondo suas costelas e, por fim, puxando seus pulmões para fora, para que se parecem com asas sangrentas.

 

Uma cena desse tipo de execução foi mostrada na segunda temporada da série televisiva Vikings, exibida pelo History Channel (veja aqui). O vídeo do Anthrax consegue ser ainda mais brutal em sua encenação. A participação do comediante Brian Posehn (amigo pessoal de Scott Ian) no final do vídeo tenta dar uma aliviada na tensão que fica. Aperte o play se tiver coragem:

 

 

Quanto aos shows que o Anthrax faz por aqui, o grupo norte-americano será a atração de abertura para o Iron Maiden, nos dias 17, 19, 22, 24 e 26 de março. Veja todos os detalhes da turnê:

 

 17/03/2016 - Rio de Janeiro/RJ

HSBC Arena - Avenida Embaixador Abelardo Bueno, 3401

Horário: 19h00

Ingressos: de R$ 220,00 a R$ 600,00 (valores inteiros)

Vendas online: www.livepass.com.br

Classificação etária: 16 anos

 

19/03/2016 - Belo Horizonte/MG

Esplanada do Mineirão - Avenida Antônio Abrahão Caram, 1001

Horário: 19h00

Ingressos: de R$ 250,00 a R$ 570,00 (valores inteiros)

Vendas online: www.livepass.com.br

Classificação etária: 16 anos

 

22/03/2016 - Brasilia/DF

Ginásio Nilson Nelson - Srpn Trecho 1

Horário: 19h00

Ingressos: de R$ 200,00 a R$ 500,00 (valores inteiros)

Vendas online: www.livepass.com.br

Classificação etária: 16 anos

 

24/03/2016 - Fortaleza/CE

Arena do Centro de Formação Olímpica - Av. Alberto Craveiro

Horário: 19h00

Ingressos: de R$ 100,00 a R$ 620,00 (valores inteiros)

Vendas online: www.livepass.com.br

Classificação etária: 16 anos

 

26/03/2016 - São Paulo/SP

Allianz Parque - Rua Turiassu, 1840

Horário: 19h00

 

LIZANDRA PRONIN – TERRITÓRIO DA MÚSICA

Topo

 

Jethro Tull: box de “Aqualung” sai em abril

 

 

 

O clássico disco ‘Aqualung’, do Jethro Tull, ganhará uma edição limitada. Para o dia 22 de abril, é aguardado o lançamento de uma caixa comemorativa de 45 anos do lançamento do álbum, que chegou ao mercado em 1971. No pacote, estarão incluídos 2 CDs e 2 DVDs, com versões remasterizadas das canções, além da inclusão das faixas do EP ‘Life Is a Long Song’.

 

GUILHERME ZANINI – GUITAR PLAYER

Topo

 

Beatles voltam à tela grande com A Hard Day's Night

Filme estrelado pelo quarteto de Liverpool ganha três exibições especiais

 

 

Lançado em setembro de 1964, A Hard Day's Night, que na época ganhou o nome de Os Reis do Iê-Iê-Iê, no Brasil, volta à tela grande em versão remasterizada. O filme será exibido nesta quinta, 3, e nos dias 6 e 8 de março em 17 cidades do país: Aracaju, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Cuiabá, Curitiba, Goiânia, Florianópolis, Londrina, Natal, Niterói, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Santos, Vila Velha e Recife. É uma oportunidade única dos fãs brasileiros verem (ou reverem) John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr atuando e tocando na tela grande.

A Hard Day's Night é até hoje um dos mais bem sucedidos trabalhos de junção das linguagens do rock e do cinema. Ele foi concebido logo após o quarteto estourar mundialmente. No começo do rock, era praxe os astros do gênero estrearem em filmes de baixo orçamento e, assim, faturavam alguns trocados enquanto durasse a popularidade. Mas os Beatles e o empresário Brian Epstein queriam fugir disso. A ideia não era apenas explorar comercialmente o fenômeno da Beatlemania, mas sim fazer algo que realmente tivesse conteúdo.

O produtor Walter Shenson não teve muito dinheiro para a elaboração do longa, mas isso não impediu que o diretor Richard Lester exercesse sua função de forma criativa. Ele fez um filme anticonvencional, usando câmeras portáteis e aplicando à fita uma edição frenética que ele aprendeu fazendo comerciais de TV. Lester também se inspirou nas inovadoras técnicas de narrativa da nouvelle vague francesa. No fim das contas, A Hard Day's Night parece uma versão acelerada e pop dos filmes dos irmãos Marx.

Nada é supérfluo na produção. O filme em preto e branco, que foi concebido como uma versão fictícia de um dia na vida do grupo, flui com dinamismo, enfileirando uma sequência de piadas e situações anárquicas – quando algo ameaça ficar chato, Lester move a ação para algo totalmente diferente. O roteiro criado por Alun Owen, que foi indicado ao Oscar, captura com precisão o dialeto e humor inglês da década de 1960. No filme, as personalidades dos quatro Beatles são bem delineadas e usadas com charme, humor e eficiência. Eles não eram atores, mas a naturalidade dos músicos contagia. Ringo, particularmente, rouba o show. Ele é alvo das gozações de todo mundo, mas é quem ri por último.

 

 

No enredo, os Beatles precisam se preparar para uma importante aparição na televisão. Os músicos nunca perdem a chance de desafiar as autoridades e entrar em conflito com os mais velhos. Toda a insanidade em volta do quarteto enlouquecem o empresário Norm (Norman Rossington). Ao mesmo tempo em que têm que lidar com compromissos profissionais (coletivas de imprensa, ensaios, responder cartas de fãs), eles precisam tomar conta do avô de Paul (interpretado por Wilfrid Brambell), um velhinho encrenqueiro que gosta de jogar as pessoas umas contra as outras. Ele vende fotos falsificadas do quarteto e as intrigas que faz incentivam Ringo a “deixar o grupo” – isto pouco antes dos Beatles entrarem no ar. O momento em que o baterista sai disfarçado e resolve “aproveitar a vida” é um dos pontos altos.

 

Lester praticamente inventou a linguagem do vídeo musical em A Hard Day’s Night. As canções são inseridas na trama de forma natural e orgânica. No vídeo de “Can't Buy Me Love”, ele coloca os rapazes para correr freneticamente pelo campo, pulando, brincando e improvisando. Para intensificar o efeito de liberdade e anarquia, Lester utiliza tomadas aéreas, faz registros em câmera lenta e usa diversos truques. Os Beatles também interpretam “And I Love Her”, “I Should Have Known Better”, “She Loves You”, “If I Fell”, “I’m Happy Just To Dance With You” e “Tell Me Why” além da faixa-título, que é apresentada no começo, enquanto os músicos fogem das fãs.

Quando A Hard Day's Night estreou, os Beatles eram a maior sensação do mundo, mas obviamente ninguém poderia prever se eles iriam durar ou deixar qualquer tipo de legado ou influência. O melhor é perceber que 50 anos depois o filme de estréia dos ingleses ainda se mostra cheio de frescor.

 

PAULO CAVALCANTI – ROLLING STONE BRASIL

Topo

 

03/03/16

Depois de vencer competição, guitarrista Pedro Martins grava disco na Suíça

O músico venceu o Socar Competition do Festival de Jazz de Montreux

 

 

O joven voltou à Suíça para gravar um CD que faz parte da premiação em Montreux

Vencedor do Socar Competion do Festival de Jazz de Montreux, em julho do ano passado, o jovem guitarrista brasiliense Pedro Martins recebeu alguns prêmios, e um deles foi a gravação de um CD de composições autorais. O músico voltou à Suíça, onde fez o registro desse trabalho entre 14 e 18 últimos, acompanhado por Frederico Heliodoro (baixo) e Antônio Loureirto (bateria). %u201CO que produzi foi um disco experimental, com a fusão de ritmos brasileiros com harmonias jazzísticas e inserção de outros elementos%u201D, explicou Pedro, que retornou recentemente ao Gama, onde mora com a família. %u201CO álbum %u2013 o quinto da discografia do instrumentista %u2013 , a ser lançado no segundo semestre, ainda não tem título escolhido. Gravei nove faixas, todas inéditas, entre elas Origem, Kremsamba, Sertão profundo e Horizonte, que remete a Brasília. O produtor foi Kurt Roseneinkel, norte-americano radicado na Alemanha. (IRL)

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Topo

 

AC/DC pode voltar ao Brasil no segundo semestre

Guns N' Roses e Black Sabbath seriam dois outros nomes grandes do fim do ano

 

 

Segundo o Popload, o AC/DC deve vir ao Brasil no segundo semestre deste ano. A turnê do álbum Rock or Bust, lançado em 2014, passaria no país no fim de 2015, mas a data foi sendo adiada e as apresentações devem enfim acontecer em 2016.

Por enquanto não há mais informações sobre cidades ou datas. Ainda de acordo com o site, a turnê de reunião do Guns N' Roses que passa pela América Latina - e pode ter até seis shows no Brasil - também acontecerá no segundo semestre. Anteriormente falava-se de datas entre outubro e dezembro, após uma turnê pelos Estados Unidos, que se encerraria em setembro.

Outra banda veterana do rock que pode se apresentar no Brasil em dezembro é o Black Sabbath - leia mais.

 

MARCELO HESSEL – OMELETE UOL

Topo

 

Lomba da Massa, novo clipe do Figueroas

Lomba da Massa traz elementos psicodélicos inseridos num fundo em chroma key.

 

 

“Cuidado ao usar chroma key”, já dizia qualquer diretor com medo de ver seu produto virar uma tosqueira anos 80 com efeitos especiais baratos. Mas este post é destinado ao mito Figueroas, e com ele a tosqueira se torna arte, como podemos ver em “Lomba da Massa”.

É uma tosqueira ‘profissa’ e organizada, cheia de banco de imagens, efeitos psicodélicos e closes de câmeras coordenados pelo diretor Marco Loschiavo, ex-guitarrista do Gram, ao lado de Diego Limberti e Rogo de Castro, com fotografia de Marcello Pagotto. O trabalho é o quarto clipe oficial retirado do segundo melhor disco de 2015, Lambada Quente, que o alagoano Givly Simons pariu ao lado de Dinho Zampier.

 

O lançamento é da Noisey.

 

 

MARCOS XI – ROCK IN PRESS

Topo

 

Planet Hemp é anunciado como uma das atrações principais do Bananada

O quinteto carioca Planet Hemp fecha uma das noites do festival goiano

 

 

 

Depois do show apoteótico que o paulista Criolo fez no encerramento da última edição, quando se apresentou para 10 mil pessoas no Centro Cultural Oscar Niemeyer (relembre a cobertura do Amplificador), o festival goiano Bananada volta a investir forte no rap. Nesta quarta-feira, a organização anunciou que o grupo carioca Planet Hemp será uma das atrações de sua 18ª edição, a ser realizada entre os dias 9 e 15 de maio.

Liderado por Marcelo D2 e BNegão, o quinteto, que conta ainda com Nobru Pederneiras (guitarra), Formigão (baixo) e Pedrinho Garcia (bateria), anunciou oficialmente o fim de seu hiato em dezembro e se prepara para lançar um DVD com o registro de turnê de 2013.

— Depois da turnê em 2012, a chama se acendeu de novo — disse D2 em uma entrevista ao GLOBO naquele mês. — Estamos até falando em música nova. É difícil porque, hoje, aquelas letras me soam um pouco ingênuas. Continuo o mesmo moleque revoltado de 20 anos atrás, mas perdi a ingenuidade. Tanto eu quanto o Bernardo (BNegão) mudamos a nossa maneira de escrever. O que posso dizer é que não é mais uma reunião, é uma volta. Queremos fazer shows todos os anos.

 

PLANET HEMP - DVD O RITMO E A RAIVA from Rafael Kent on Vimeo.

 

 

O grupo carioca se junta a outras atrações já anunciadas pela organização. Além do veterano Jorge Ben Jor, que deve abrir o evento (como fez Caetano Veloso em 2015), Liniker (SP), Autoramas (RJ), The Helio Sequence (EUA), Frank Jorge (RS), Felipe Cordeiro (PA), Hellbenders (GO), Carne Doce (GO), Yonatan Gat (Israel/EUA), Supercordas (RJ), Mahmed (RN), Quarto Negro (SP), Molho Negro (PA), Neguim Beats (GO), Ventre (RJ) e os DJs Renato Cohen, Mau Mau e Anderson Noise também estão no line-up do festival, considerado um dos mais importantes da cena independente.

No total, mais de 50 bandas vão se apresentar no Oscar Niemeyer e em demais teatros, casas noturnas e centros culturais da cidade.

 

SERVIÇO

 

FESTIVAL BANANADA 2016

Data: De 9 a 15 de maio

Local: Centro Cultural Oscar Niemeyer

Ingressos: *Venda online no cartão de crédito (parcelada em até 10x), boleto bancário ou débito online através do link: www.sympla.com.br/bananada2016

 

LUCCAS OLIVEIRA – BLOG AMPLIFICADOR

Topo

 

David Lee Roth:ouça o novo single “Aint’T No Christmas”

 

 

David Lee Roth (Van Halen) divulgou um novo single de sua carreira solo. No player abaixo, você ouve a inédita ‘Ain’t No Christmas’. A canção foi apresentada no programa de rádio que o vocalista tem nos Estados Unidos. Pelas redes sociais, Roth tratou de negar que estaria de saída do Van Halen, boato que foi cogitado depois de a música ter vindo à tona.

 

 

GUILHERME ZANINI GUITAR PLAYER

Topo

 

Universidade americana compra direitos dos arquivos de Bob Dylan

Instituição quer criar uma exposição permanente da lenda americana do pop e se firmar como destino cultural

 

Arquivos de Dylan ficarão à disposição de universidades e de pesquisadores que estudem o tema (Columbia Records/Divulgação)

 

A Universidade de Tulsa, no Oklahoma, comprou uma coleção de mais de 6.000 objetos, gravações e documentos do cantor Bob Dylan, e a ideia é criar uma exposição permanente dessa lenda americana do pop - de acordo com uma nota divulgada nesta quarta-feira, 2.

Cerca de mil peças já estão a caminho de Tulsa, enquanto o restante será recuperado de diferentes lugares e enviado para a instituição ao longo de dois anos, acrescentou a universidade, que busca se consolidar como um renomado destino cultural.

O valor da compra não foi revelado, mas o jornal The New York Times estima em algo entre US$ 15 milhões e US$ 20 milhões.

Além da exposição aberta ao público, os arquivos de Dylan ficarão à disposição de universidades e de pesquisadores que estudem o tema. O material inclui gravações que remontam a 1959.

"Estou feliz que meus arquivos, que foram reunidos durante todos esses anos, tenham encontrado um lugar", declarou o artista, de 74 anos, em um comunicado também divulgado nesta quarta.

 

AFP

Topo

 

Dave Grohl planeja deixar a banda Foo Fighters e seguir carreira solo

Segundo site o Page six, guitarrista e vocalista do Foo fighters pretende sair do grupo

 

Grohl é ex-baterista das bandas Nirvana, Queens of the Stone Age e Them Crooked Vultures (Emmanuel Dunand/Divulgação)

 

O vocalista do grupo Foo Fighters, Dave Grohl, pode deixar o grupo. Segundo o site Page Six, Grohl que seguir carreira solo, além disso, segundo a publicação pesa o fato do faturamento da banda ter caído muito. A notícia, no entanto, irritou os outros membros da banda.

A notícia coincide com uma publicação no Twitter oficial da banda de que fariam uma anúncio amanhã (3/3), "Anúncio oficial da banda amanhã à noite. Fique ligado.", dizia a mensagem. Um representante do grupo disse à Entertainment Weekly, que "Qualquer notícia sobre o rompimento da banda é completamente ridícula".

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

Topo

 

Casa de Folha Lança seu 1º EP – “Bangalô” (Belém/PA)

 

 

 

"Bangalô" é o nome do primeiro EP, da banda paraense Casa de Folha, que surge como uma prévia do que virá ainda mais, e um acerto de contas.

Gravado, Mixado e Masterizado no Guamundo Home Studio, o "Bangalô" foi lançado virtualmente e disponibilizado em download de forma gratuita a partir do dia 29/01/2016.

O EP gravado entre os anos de 2014/2015 narra em uma linha do tempo o som e história do Casa de Folha.

Como um andarilho por entre batuques, histórias e afagos, o "Bangalô" foi a entrada e saída de tantas almas, hospedeiro certo do som que os guia.

Com 04 faixas e parcerias ilustres como Juliana Sinimbú, Igor Amaro e Renato Gusmão, o EP encerra um ciclo de contos e contas para assim gerar outro.

Com Produção e Direção de Renato Torres, o Bangalô se abrirá!

 

Veja o vídeo da banda

 

 

Formação da Banda

André Butter (Violonista);

Ismael Rodrigues (Percussionista);

Jassar Protázio (Baixista);

Thais Ribeiro (Vocalista)

 

Escute ou baixe o EP da banda abaixo

 

 

SOM INDEPENDENTE

Topo

 

02/03/16

Jake Bugg lança mais uma música nova e revela detalhes do disco

 

 

Jake Bugg completou 22 anos no último domingo, 28 de fevereiro, e está prestes a lançar o terceiro álbum de estúdio de sua carreira, "On My One", anunciado algumas semanas atrás.

O trabalho, que sucede "Shangri La" (que foi lançado em 2013 e cuja resenha você confere aqui) na discografia de Bugg, foi intitulado "On My One" e será lançado dia 17 de junho (15 de abril no Reino Unido).

A primeira amostra de "On My One" foi sua faixa-título, que também abre o repertório do álbum. A listagem completa de músicas acaba de ser revelada e pode ser conferida na íntegra ao final desta nota, que é ilustrada pela capa do trabalho.

Além dessas novidades, Jake Bugg liberou mais um single do novo disco, “Gimme The Love”. A faixa estreou na quinta-feira passada como Hottest Record In The World no programa de Zane Lowe na Beats Radio 1 da Apple Music e agora ganhou um videoclipe dirigido por Michael Holyk - que já havia trabalhado com Bugg no vídeo de “Trouble Town”. Assista abaixo:

 

 

01. On My One

02. Gimme The Love

03. Love, Hope and Misery

04. The Love We’re Hoping For

05. Put Out The Fire

06. Never Wanna Dance

07. Bitter Salt

08. Ain’t No Rhyme

09. Livin’ Up Country

10. All That

11. Hold On You

 

TATE MONTENEGRO – TERRITÓRIO DA MÚSICA

Topo

 

Black Rebel Motorcycle Club vai tocar em evento gratuito em São Paulo

 

 

A House Of Vans é um “local de encontro de todas as formas de expressão que envolvem o universo” da marca de calçados, o que inclui esportes de ação, música, cultura e arte. O primeiro espaço foi aberto no Brooklyn, em Nova York, em 2010, se estendendo para o festival South By Southwest, em Austin (Texas) e depois ganhando um espaço fixo em Londres, na Inglaterra.

A House of Vans também promove edições regionais, batizadas de “Pop-Up”, que visita o Canadá, cidades europeias como Berlim e Manchester, Ásia, México, e outras cidades dos Estados Unidos. E a primeira passagem pelo Brasil acontecerá entre os dias 16 e 18 de março.

O evento será parte da comemoração de 50 anos da Vans, e contará com workshops (customização de tênis com Flávio Sponton / shapes com Ratones / maquiagem /Live Painting com Nove / Live Mapping), clínicas de skate, exposições de tênis e de fotos históricas da marca, skatepark, exibições de filmes e shows de atrações musicais - o terceiro dia de celebração contará com uma apresentação da banda norte-americana Black Rebel Motorcycle Club, trazendo também DJ Nyack na área de balada.

 

O evento é gratuito e aberto ao público, basta fazer seu cadastro neste link

 

18/03/2016 - São Paulo/SP

House of Vans São Paulo - Av. Francisco Matarazzo, 2000

Horário: 22h00

Entrada gratuita

Cadastro: http://houseofvans.com.br/cadastro/

 

TATE MONTENEGRO – TERRITÓRIO DA MÚSICA

Topo

 

Lobão não dever ser censurado porque você não concorda com ele, companheiro

 

 

Sempre polêmico e agora mais odiado do que nunca por sua posição política contra o governo, o músico Lobão lançou no último domingo um novo single, chamado "Agora é Tarde (Companheiro)". A música, como previsto, critica mais uma vez o governo e o PT.

Na manhã dessa terça-feira, 01 de março, a canção foi apresentada no programa "Morning Show", da Jovem Pan. Mas um dos apresentadores do programa, o ex-VJ da MTV Edgard Piccoli, não gostou de ter que tocar a música e antes mesmo que ela terminasse, criticou a veiculação da faixa.

"Acho ele [Lobão] relevante para o rock brasileiro, eu gosto do que ele escreve (...) A gente tocou, nossa direção concorda que toque, eu só fico pensando para que se prestaria essa música? Colocar aqui na nossa programação é entrar nessa galhofa do Fla-Flu. Eu respeito, estou aqui para atender um anseio da direção da rádio (...) Mas a Jovem Pan sempre estabeleceu um diálogo tão sério, tão bacana, acho que aderir a uma panfletagem assim, com todo respeito...", disse.

 

Qual a importância disso?

 

Piccoli tem todo o direito de não gostar da música e pode até mesmo desgostar do Lobão. E pode também opinar sobre o fato de não gostar ou não concordar com a temática da faixa.

 

O problema está no discurso que esbarra na censura: por ele, a música simplesmente nem tocaria na rádio. Edgard Piccoli é um profissional, mas talvez tenha se esquecido que não é papel da imprensa censurar um artista por suas posições políticas - isso, quem fazia, vale lembrar, era a ditadura militar.

 

A letra de "Agora é Tarde (Companheiro)" traz versos como "A tua ladainha de jurar de pé juntinho / Que "não sabe de nada", já virou refrão / Uma piada mal contada, que a galera, já de saco cheio / Quando escuta grita em coro: PEGA LADRÃO!".

 

 

O single "Agora é Tarde (Companheiro)" não está no repertório de "O Rigor e a Misericórdia", disco que o músico lançou recentemente.

 

LIZANDRA PRONIN – TERRITÓRIO DA MÚSICA

Topo

 

Explosions In The Sky divulga mais uma música inédita

 

 

 

O grupo americano Explosions In The Sky comemorou ano passado - inclusive passando pelo Brasil - os quinze anos de seu primeiro álbum de estúdio, “How Strange, Innocence”. E 2016 será dedicado ao seu sétimo registro, que está prestes a ser lançado.

“The Wilderness” - que sucede “Take Care, Take Care, Take Care” (de 2011) e as trilhas sonoras de “Prince Avalanche” (2013), “Lone Survivor” (2013) e “Manglehorn” (2014) na discografia do Explosions In The Sky - chegará ao mercado dia 1º de abril através da gravadora Temporary Residence Ltd.

O repertório do álbum é composto por nove faixas, duas das quais já foram liberadas para audição: primeiro veio "Disintegration Anxiety" agora veio à tona “Logic Of A Dream”, que estreou como World First no programa de Zane Lowe na Beats 1 e depois foi compartilhada no Youtube da banda. Confira abaixo e logo depois a lista completa de músicas em “The Wilderness”:

 

 

01. Wilderness

02. The Ecstatics

03. Tangle Formation

04. Logic of a Dream

05. Disintegration Anxiety

06. Losing the Light

07. Infinite Orbit

08. Colors in Space

09. Landing Cliffs

 

TATE MONTENEGRO – TERRITÓRIO DA MÚSICA

Topo

 

João Rock 2016: Legião Urbana 30 anos, Ira! e Scalene comandam palcos da edição de 15 anos do festival

Evento ainda terá shows de Planet Hemp, Criolo, Nação Zumbi, Titãs, Black Alien e Far From Alaska, entre outros

 

 

O João Rock anunciou a escalação da edição 2016 do evento, que acontece no próximo dia 18 de junho. Comemorando 15 anos de existência, o festival da cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, reunirá este ano 17 atrações em três palcos distintos.

Além do palco principal, que leva o nome do festival, o João Rock terá o Palco 2002, com as atrações que tocaram no ano de estreia do evento, e o Fortalecendo a Cena, dedicado a bandas emergentes e em início de carreira.

Tocarão no palco João Rock o projeto Legião Urbana 30 anos – com Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá e convidados –, Planet Hemp, Criolo – em show com convidados –, Nação Zumbi, Paralamas do Sucesso, Black Alien, Nando Reis e Natiruts. O palco principal voltará à configuração que tinha até 2014, com shows sem intervalos.

O Palco 2002 terá as três bandas que tocaram na primeira edição do João Rock, Titãs, Ira! e Cidade Negra, enquanto o palco Fortalecendo a Cena reunirá Scalene, Far From Alaska, Supercombo, Marrero e Dona Cislene.

 

O João Rock 2016 voltará ao Parque Permanente de Exposições de Ribeirão Preto no dia 18 de junho (um sábado), com ingressos à venda a partir desta terça, 1º. As entradas para a edição de 15 anos custam entre R$ 160 (pista, R$ 60 mais cara que em 2015) e R$ 440 (pista premium, R$ 120 a mais que no ano passado).

Há também opções de meia-entrada e “ingressos solidários”, com entrega de 1 kg de alimento na entrada do festival – saiba mais aqui.

Em 2014, o João Rock teve como destaques os shows de Raimundos, Nação Zumbi e Vanguart, entre outros. No ano seguinte, Pitty, Criolo e Planet Hemp fizeram algumas das mais interessantes apresentações do festival. Nas duas edições, o evento reuniu mais de 40 mil pessoas.

 

João Rock 2016 (15 anos)

18 de junho (sábado)

Parque Permanente de Exposições de Ribeirão Preto

 

Palco João Rock: Legião Urbana 30 anos, Planet Hemp, Criolo, Nação Zumbi, Paralamas do Sucesso, Black Alien, Nando Reis e Natiruts.

Palco 2002: Titãs, Ira! e Cidade Negra.

Palco Fortalecendo a Cena: Scalene, Far From Alaska, Supercombo, Marrero e Dona Cislene.

 

ROLLING STONES BRASIL

Topo

 

The Kills retorna com o single “Doing It To Death” e anuncia novo disco

Banda de Alison Mosshart e Jamie Hince lançará o quinto álbum da carreira, Ash & Ice, em junho

 

 

 

O aguardado quinto disco de estúdio do Kills já tem nome, data de lançamento, lista de faixas, single e clipe. O duo – formado por Alison Mosshart, companheira de Jack White no The Dead Weather, e Jamie Hince – anunciou o álbum nesta terça-feira, 1º.

Intitulado Ash & Ice, o sucessor de Blood Pressures (2011) será lançado em 3 de junho, pelo selo Domino. O quinto álbum da banda sairá em vinil duplo, CD e digital (pré-venda já disponível), com 13 faixas inéditas.

Ash & Ice tem produção do próprio Jamie Hince – com coprodução de John O’Mahony – e foi gravado nos Estados Unidos, parte em uma casa alugada em Los Angeles e parte no estúdio famoso mundialmente Electric Lady, em Nova York.

O novo disco do Kills demorou quase cinco anos para a ser feito devido a uma cirurgia na mão pela qual passou Hince. Em comunicado, a Domino informa que o músico teve que praticamente reaprender a tocar violão e guitarra com um dedo permanentemente prejudicado.

Junto ao anúncio do disco, a dupla revelou a primeira – na tracklist e cronologicamente – faixa de Ash & Ice. “Doing It To Death” ganhou vida com um videoclipe gravado em Los Angeles, em fevereiro, e dirigido por Wendy Morgan (que já trabalhou com Janelle Monae).

 

Conheça “Doing It To Death” abaixo.

 

 

Veja tracklist e capa de Ash & Ice abaixo.

 

 

1 – “Doing It To Death”

2 – “Heart Of A Dog”

3 – “Hard Habit To Break”

4 – “Bitter Fruit”

5 – “Days Of Why And How”

6 – “Let It Drop”

7 – “Hum For Your Buzz”

8 – “Siberian Nights”

9 – “That Love”

10 – “Impossible Tracks”

11 – “Black Tar”

12 – “Echo Home”

13 – “Whirling Eye”

 

ROLLING STONES BRASIL

Topo

 

01/03/16

Grito Rock 2016: Confira as edições do festival que acontecerão no RS

 

 

 

O período carnavalesco marcou novamente o início do Grito Rock, que este ano traz toda a potencialidade da América Latina para o festival, com novos parceiros de diversas localidades. Marcado pela lógica colaborativa e pela integração entre os realizadores, o festival que já lançou diversos nomes no cenário musical independente entra em 2016 ampliando sua conexão entre as cidades realizadoras do evento.

Confira as cidades do Rio Grande do Sul que terão a sua edição do Grito Rock:

 

- Porto Alegre: Dia 20 de março, na Usina do Gasômetro. As inscrições para se apresentar no evento estão abertas até o dia 1º de março em http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-2016-evento-mae/grito-rock-porto-alegre-2016/  

- Esteio: Festival rola entre os dias 15 e 17 de março. Serão escolhidas 10 bandas para participar do evento, sendo 3 vagas para o dia 16/04- COM cachê e 7 vagas para o dia 17/04- SEM cachê. As inscrições podem ser feitas até o dia 10 de março em http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-2016-evento-mae/grito-rock-esteio-6/

 - Novo Hamburgo: Dia 13 março no Abbey Road Bar. Shows com as bandas O Curinga, Antônio Reck, No Apartheid, Gudicarmas, Cuscobayo e Trabajo Cubano. Mais informações em https://www.facebook.com/events/183352255355505/183435308680533/  

- Vacaria: Dia 5 de março. Mais informações em https://www.facebook.com/gritorockvacaria  

- Cachoeirinha: Dia 20 de março no Parcão de Cachoeirinha. Já estão confirmadas as participações das bandas Lokos D`Bira, NOX e Marittimus. Mais informações em https://www.facebook.com/events/558333010996012/  

- Caxias do Sul: Dia 12 de março na Casa Paralela. As inscrições estão encerradas. Em breve, divulgação do cast das bandas em https://www.facebook.com/GritoRockCXS  

- São Leopoldo: Dia 6 de março no Bar Belas Artes. Shows com as bandas BLEFF, 9SHOT, Asthenia, Marittimus, Lokos D`Bira e Pedestal Paralelo. Mais informações em https://www.facebook.com/events/1721701574752248/  

- Imbé: Dia 2 de abril na Casa Aust. Mais informações em https://www.facebook.com/Grito-Rock-Litoral-Norte-Imbé-RS-1535509466776803/  

- Gravataí: Dia 17 de abril no Sinuca Rock Bar MR:Bean. Mais informações em https://www.facebook.com/events/488173538056943/  

- Guaíba: De 2 a 6 de março na Praia da Florida. Shows de Dead Skaterguy, Mercado Público, Os The Freaks, La Morsa, Hempadura, Cosmic Ship, Maçã de Newton, Doutor Roberto e Neuro Ruptura.  

 

ROCK GAÚCHO

 

Rara Canção do Nirvana com vocal de Dave Grohl. Ouça

 

 

Uma rara gravação do Nirvana, com Dave Grohl nos vocais, apareceu online durante o final de semana.

Uma versão alternativa para Marigold, que também traz Kera Schaley tocanco cello, fazia parte, segundo o site Consequence of Sound, do projeto solo de Grohl, chamado Pocketwatch.

A música foi regravada e lançada pelo Nirvana no álbum In Utero, de 1993.

Grohl fazia o vocal principal e tocou guitarra e baixo na gravação. Krist Novoselic também participou e até Kurt Cobain cantou alguns trechos.

Marigold foi lançada originalmente como lado B de Heart-Shaped Box e entrou na coletânea With Lights Out, de 2004.

 

 

DROP MUSIC

Topo

 

Iggy Pop deu o corpo ao manifesto para exposição de arte

 

 

Habituado a despir-se em palco, Iggy Pop expôs-se de novo mas desta vez por motivos distintos.

 

O projecto foi concebido pelo artista londrino Jeremy Deller para a New York Academy Of Art. O inglês convidou 21 participantes a retratarem Pop nu em pêlo.

Os desenhos farão parte de uma exposição a ser estreada no Brooklyn Museum no Outono. Nessa altura, Iggy Pop estará em digressão com as canções do novo «Post Pop Depression», produzido por Josh Homme.

O álbum é editado a 18 de Março.

 

DISCO DIGITAL

Topo

 

Aposta: Rodrigo Miguez

 

 

 

Rodrigo Miguez: Facebook | Youtube | Site Oficial

 

A filosofia está inserida em tudo em nossa vida. O ato de se questionar não é só um exercício, mas uma necessidade de sair de dentro da própria zona de conforto e encontrar novidades para encaminhar a própria vida. Aproveitar isso e mudar nossa cabeça não é algo tão fácil, mas parece que é esse o objetivo de Rodrigo Miguez.

 

Em seu segundo disco de inéditas, o carioca mostra uma inversão do ponto Negativo, como é o nome do disco, para positivo, quando olha com afeto para a abertura em suas próprias dúvidas. Em disco, Rodrigo parece musicar pensamentos de Darwin, Nietzsche e Platão para transforma-los em melodias pop, banhadas numa MPB de sotaque pernambucano e experimentalismo global. É um trabalho para desafiar os ouvidos e a mente a perceber cada fissura crítica intrincada em seus significados.

 

Ao todo, são nove canções inéditas compostas pelo músico ao lado de diversos nomes da cena independente carioca, assinando coletivamente o arranjo do álbum. O trabalho foi registrado em seu próprio estúdio, com produção autoral. “Maior Condição” e “Coisas Pra Lembrar” são o ponto alto do registro, com melodias fáceis e letras que focam o âmbito social e a interação humana. “Eu Só Existo” e “Tem Que Melhorar” carregam o lado experimental do trabalho, com batidas e efeitos eletrônicos ao lado de guitarras distorcidas e um violão de nylon.

Este não é o primeiro trabalho de Rodrigo Miguez, que tem o disco Passo Pra Trás como estreia em 2013, mas onde mostra uma performance mais segura e onde amadurece suas ideias e objetivos, criando a cara para o seu trabalho. Para um economista, ex-membro do coral da UERJ, chegar a este ponto de profundidade na questão, com certeza é uma boa opção prestar bem atenção nele e no que o músico tem a dizer.

 

 

MARCOS XI – ROCK IN PRESS

Topo

 

“Inventar o Agora”, nova do Yokohama Café

Voz e composição assinadas por Diogo Soares, líder da banda acreana Los Porongas.

 

 

Mais uma música do projeto Yokohama Café foi divulgada. Desta vez, a canção que representa o mês de fevereiro leva o interessante nome de “Inventar o Agora”, carregando uma letra dúbia e urgente nos anseios pessoais.

A faixa foi composta e cantada por Diogo Soares, líder da revolucionaria banda acreana Los Porongas. Ao lado dele, além do criado e único membro fixo do projeto, Allan Yokohama na guitarra e produção, tocam Marano (A Banda Mais Bonita da Cidade, Humanish, Charme Chulo, Terminal Guadalupe) no baixo e Fabiano Ferronato (Humanish, Charme Chulo, Terminal Guadalupe) na bateria. Igor Amatuzzi (Humanish, OAEOZ) como técnico de gravação e saxofonista, João Borghi (Locomotiva Duben e Black Cherry) no teclado e Gustavo Schirmer (Estúdio Schirmer) na mixagem e masterização completam o time.

A Yokohama Café é um projeto que une amigos, em grande maioria formadores da cena musical curitibana nos últimos 15 anos, em torno do trabalho de lançar uma música por mês, com um ensaio fotográfico diferente e formação nova. É um desafio interessante que já nos presenteou com “Asfalto“, cantada pelo ex-Narciso Nada Rodrigo Medeiros.

 

Yokohama Café – Inventar o Agora

 

 

MARCOS XI – ROCK I N PRESS

Topo

 

Clipe: Ledjembergs – Mil Rosas

Faixa irá figurar no segundo álbum do trio mineiro, ao lado de uma pout-pouri de Chico Buarque.

 

 

Ledjembergs. Soa difícil, né? Não se preocupe, o som deles é bem fácil de gostar. É isso que eles provam com “Mil Rosas”, nova música da banda mineira divulgada em versão clipe recentemente. O vídeo foi dirigido e roteirizado por Pedro Vasconcelos Costa, com atuação de Anna Pinheiro.

 

Este é um prelúdio para o segundo disco de inéditas do trio formado por Lucas Ucá, Adriano Queiroga e Rafael Costa Val, que já teve uma versão para “Construção/Deus Lhe Pague“, do Chico Buarque, divulgada. Antes, a banda já tinha lançado o EP Pré e o disco Amanhecei-vos, de 2013.

 

Ledjembergs – Mil Rosas

 

 

MARCOS XI – ROCK I N PRESS

Topo

 

Quando a Polícia Chegar”, novo clipe do Autoramas

Primeiro disco da nova formação do Autoramas tem detalhes revelados junto com primeiro clipe.

 

 

Cuidado ao ouvir a nova música do Autoramas! Ela é extremamente viciante e pegajosa. O petardo se chama “Quando a Polícia Chegar”, foi composta por Gabriel Thomaz e Alvin L, e vem junto com um clipe gravado em Berlim, na Alemanha, dirigido por Eduardo Mattos, produzido por Fernanda Figueiredo, coreografado por Thelma Bonavita e protagonizado por Julia Abs e Claudia Grottke.

Este é a primeira música oficialmente divulgada de O Futuro dos Autoramas, sexto disco de inéditas do agora quarteto formado por Gabriel Thomaz (voz e guitarra), Érika Martins (voz, guitarra, teclado e percussão), Melvin (baixo e vocal) e Fred Castro (bateria). O lançamento do disco está marcado para 18 de março através do selo paulista Hearts Bleed Blue (HBB).

A nova faixa, assim como todo o disco, foi gravada no estúdio Toca do Bandido, no Rio de Janeiro, com mixagem e masterização feita pelo produtor de Detroit Jim Diamond (Sonics, White Stripes e Dirtbombs). O projeto gráfico é assinado por Paulo Rocker. O disco e novos materiais de merchandising estão em pré venda no site da HBB.

 

Autoramas – Quando a Polícia Chegar

 

MARCOS XI – ROCK I N PRESS

Topo

 

“Despedida”, novo single do Holger

Quarteto paulista mostra primeira faixa inédita lançada após o seu terceiro disco, de 2014.

 

 

Seguindo a pegada mais polida de seu último disco, lançado em 2014, o quarteto paulista Holger acaba de mostrar um single inédito: “Despedida”.

A ótima faixa carrega um clima bem aconchegante seguindo a temática e sonoridade menos festiva nascida a partir do terceiro disco da banda, focando na história de uma mulher em dúvidas com sua vida. A canção foi disponibilizada em todas as plataformas de streaming e inaugura o ano da banda no quesito ‘novidades’, já que shows tem rolado desenfreado pelo país.

Esta é a primeira faixa do novo EP do grupo, chamado de Sexualidade e Repressão, com lançamento previsto para 11 de março. A banda tem o disco Holger, de 2014, Sunga (2010), Ilhabela (2012) e o EP Green Valley (2008).

 

 

MARCOS XI – ROCK I N PRESS

Topo

 

“Filosofias, drogas, costumes e música se transformaram”, diz Supercordas

 

 

Com 13 anos de estrada, o Supercordas é um dos precursores da nova psicodelia brasileira, de bandas como Boogarins e Bike, e de um movimento internacional em que se destacam Tame Impala, Temples, Pond e Jagwar Ma.

No sábado (5), com show no Sesc Pompeia, em São Paulo, eles lançam Terceira Terra, terceiro álbum deles, com participações especiais de Irina (Garotas Suecas), Julito (Bike) e Pepe (Holger).

Pedro Bonifrate (guitarras e harmônicas) falou sobre o show, cena atual, o que difere a psicodelia de hoje daquela que rolou nos anos 60 e 70, entre outros assuntos.

Além de Bonifrate, a banda conta com Diogo Valentino (baixo), Filipe Giraknob (guitarras, efeitos) e Gabriel Ares (teclados).

 

Que temáticas quiseram buscar nesse novo trabalho?

Pedro Bonifrate - O disco toca em temas diversos, mas sempre procurando um movimento que vai de dentro pra fora, buscando olhares distintos, porém complementares, sobre o mundo e sobre problemas contemporâneos, mesmo que esses problemas, digressões, viagens partam das nossas cabeças. Uma coisa que acho um pouco entediante sobre a música dos últimos anos é a insistência em se olhar pra dentro, para os espaços internos e particulares, para o próprio umbigo, para um cotidiano confortável e inofensivo. Recentemente, vejo que muitos artistas têm transformado esse paradigma e se voltado para o mundo e o nosso lugar nele. Acho uma mudança saudável e condizente com os “tempos interessantes” que estamos vivendo.

 

Por que ele se chama Terceira Terra?

Bonifrate - O disco tomou o nome da última faixa, que é talvez seu momento mais épico. A princípio, é uma referência ao mito guarani da terra sem males, que se seguiria à primeira terra habitada pelos deuses, e à segunda, que é essa em que vivemos, onde “nada se move sem atrito”, onde há geração e corrupção.

De forma mais abrangente, é uma referência aos mundos que estamos construindo com nossas escolhas e ações. O peso e a responsabilidade sobre essas construções tem aumentado na medida em que aumenta nosso poder destrutivo sobre a natureza e sobre nós mesmos. Em última instância, há a ideia de que o rumo que estamos tomando como um grande veículo coletivo planetário não parece nos levar a um estágio melhor ou mais harmônico. Estaríamos realmente ligados à busca por uma terra sem mal?

Ou outros impulsos mais individualistas estariam ditando os rumos da nossa sociedade? Acho que são algumas das questões que atravessam o álbum, ou ao menos eu acho que deveriam atravessar.

 

 

O que leva vocês a querer fazer uma música nova?

Bonifrate -  Da minha parte, como compositor, escrever canções é quase como uma necessidade do espírito, pra não dizer do corpo ou das duas coisas juntas numa só. Como um grupo, acho que estamos sempre buscando formas diferentes de combinar nossas contribuições individuais, pra que a nova música soe diferente da antiga, e isso pode ser um dos impulsos mais fortes da nossa criação coletiva.

 

Quais são os grupos e artistas da nova onda psicodélica que mais gosta e indica?

Bonifrate -  Infelizmente, não tenho tido tempo para ouvir tudo o que eu queria ouvir com atenção. Gostei do disco do Bike, curto muito o My Magical Glowing Lens. Somos suspeitos pra falar dos Boogarins, já que nos tornamos grandes amigos, mas não tenho dúvidas de que eles fazem um som incrível e cada vez melhor. Também acho que a referência e a delimitação de uma ‘nova onda psicodélica’ pode ser um pouco empobrecedora, quando foca em elementos mais óbvios em um artista ou outro que remetam a um ‘gênero psicodélico’.

Acho que há alguma psicodelia, alguma forma torta e colorida de manifestação das almas, em tudo o que eu acho interessante hoje em dia. A Ava Rocha ou o Gui Amabis ou o Cidadão Instigado ou a Stella Campos, por exemplo, podem não ser vistos necessariamente como surfistas dessa onda, mas o que eles fazem é cheio de psicodelia, ao menos no sentido em que eu gosto de empregar esse termo, que tem mais a ver com uma perspectiva libertária do fazer canção do que com características estéticas específicas.

 

Fale um pouco da galera que vai participar do show. Se sentem parte de uma cena?

Bonifrate -  Acho que não nos sentimos parte de algo assim, ainda mais hoje em dia. Mas talvez a gente não saiba quando faz parte de uma cena. Temos nossa teia de projetos, em que participamos musicalmente, e temos afinidades com muitos outros artistas que estão em atividade. Sei que os três convidados atuam em projetos que curtimos bastante, e que tem algum tipo de empatia com o que estamos fazendo. São reforços experimentais que trazemos de fora da banda, e que acreditamos adicionarem elementos interessantes ao nosso som.

Bike é uma banda muito consistente em grooves e guitarras que está começando uma trajetória muito maneira no meio musical, aqui e lá fora. A Irina e o Pepe são grandes amigos da banda, e Garotas Suecas e Holger são bandas com as quais convivemos já há alguns anos por aí. Ainda tem o Luccas Villela, que tem tocado bateria em alguns dos nossos melhores shows, e que está fazendo um trabalho muito legal com o E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante e com o Inky. Tem tudo pra ser uma experiência única e intensa.

 

Na sua opinião, o que difere a psicodelia de hoje daquela que rolou nos anos 60 e 70?

Bonifrate -  Difícil dizer, já que são tantas as diferenças entre o nosso mundo e aquele de 50 anos atrás, e ainda há essa conexão com a psicodelia dos anos 90 e 00, que é muito marcante pra nós. As filosofias se transformaram, as drogas, os costumes e a música também.

 

SERVIÇO

Supercordas lança Terceira Terra no Sesc Pompeia

Dia 05 de março, sábado, às 21h30.

Ingressos: R$ 6,00 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$ 10,00 (credenciado*/usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 20,00 (inteira).

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos.

SESC Pompeia – Rua Clélia, 93.

Não tem estacionamento.

Site: sescsp.org.br/pompéia

 

FABIANO ALCÂNTARA – VIRGULA UOL

Topo

 

Ritchie Blackmore: reveladas informações sobre volta ao rock

 

 

Ritchie Blackmore está preparando os repertórios das apresentações de rock que fará em junho. Em entrevista, o lendário guitarrista inglês disse que 70 porcento do setlist será composto por canções do Rainbow. Os outros 30 porcento serão de músicas do Deep Purple. Ao todo, serão três apresentações, duas na Alemanha e outra na Inglaterra. Blackmore disse que aguarda para ver a reação do público antes de abrir a possibilidade de novas apresentações.

 

 

GUILHERME ZANINI – GUITAR PLAYER

Topo

 

Rock nacional dos anos 90 ganha história em quadrinhos

 

 

Detalhe da capa de "Magnéticos 90"

Raimundos, Planet Hemp e Los Hermanos são alguns dos artistas que estão em "Magnéticos 90", uma história em quadrinhos que fala do rock nacional dos anos 1990.

Com o texto baseado em memórias e fitas cassete de Gabriel Thomaz (Autoramas, ex-Little Quail & The Mad Birds) e ilustrações de Daniel Juca (Tarja Preta), "Magnéticos 90" coloca a música feita no período dentro de um contexto que abrange a abertura política, mas não deixa de lado o componente emocional de Thomaz, que seleciona histórias e memórias que o marcaram.

Além de falar das bandas, o livro aborda a relação das gravadoras com a mídia e lembra o surgimento da MTV no Brasil. Com lançamento agendado para o próximo dia 15 de março, "Magnéticos 90" é composto por 224 páginas e tem o preço sugerido pela editora, a Edições Ideal, de R$ 49,90.

A editora liberou algumas páginas do livro para você dar uma folheada:

 

 

 

LIZANDRA PRONIN – TERRITÓRIO DA MÚSICA

Topo

 

Whitesnake anuncia turnê mundial

 

 

O Whitesnake voltará à estrada para uma turnê mundial. A banda liderada pelo vocalista David Coverdale confirmou uma serie com mais de 30 shows na América do Norte e Europa. Não há informações, até o momento, sobre uma possível vinda à América do Sul. O grupo lançou, em 2015, um disco com versões de musicas do Deep Purple, chamado ‘The Purple Album’.

 

GUILHERME ZANINI – GUITAR PLAYER

Topo

 

By Paulão - (34) 9108-5957 paulao@confraria.net